últimas notícias
João Doria afirma não estar conseguindo resposta do Governo Federal
João Doria afirma não estar conseguindo resposta do Governo Federal
Foto: Divulgação/Governo de SP

Doria ameaça recorrer ao STF para conseguir vacinas atrasadas

O governador culpa o Ministério da Saúde por atraso no repasse de novas doses; quase 100% dos postos de vacinação da Cidade de SP estão sem estoque

João Doria, governador de São Paulo (PSDB), ameaçou nesta semana que, caso não receba cerca de 1 milhão de doses da AstraZeneca, vai entrar com ação no STF (Supremo Tribunal Federal). Segundo ele, a entrega das doses está atrasada por falha do Ministério da Saúde. A falta do imunizante está provocando atrasos na aplicação da segunda dose no Estado.

"O Ministério deve, sim, um milhão de doses da AstraZeneca e, se não der por aquilo que representa a proporcionalidade de São Paulo e seus 645 municípios, dará por determinação do STF, porque se nós não recebermos a vacina até a próxima terça-feira, como é a promessa do Ministério da Saúde, nós ingressaremos com outra medida no Supremo", alegou o político. As informações são do G1

Desde quinta-feira (9) Doria afirma que está tentando apoio do governo federal. Ele enviou dois ofícios ressaltando a necessidade de cumprir o Plano Nacional de Imunização (PNI), cobrando o envio da quantidade de doses faltantes. Segundo ele, nenhuma resposta foi dada.

A falta de doses da Astrazeneca tem gerado uma crise entre os governos municipal, estadual e o Ministério da Saúde. Isso porque desde o início da semana Doria tem acusado o Ministério da Saúde de alterar o cronograma de entregas, o que causou o atraso no envio de novos lotes do imunizante e o desabastecimento dos pontos de vacinação no Estado.

Já o Ministério da Saúde alega que o desabastecimento em São Paulo está acontecendo porque a gestão local utilizou o lote destinado à aplicação da segunda dose para imunizar pessoas com a primeira dose. "Dados inseridos por São Paulo no LocalizaSUS mostram que o estado utilizou como primeira dose vacinas destinadas à dose dois. O estado aplicou 13,99 milhões de dose 1 e 6,67 milhões de dose 2."

Nesta sexta-feira (10) o prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes, afirmou que "a Prefeitura de São Paulo, ela não utilizou a vacina da AstraZeneca ou de qualquer outra, de segunda dose, como primeira dose".

O desabastecimento de vacinas nos postos de vacinação em São Paulo é alarmante. Nesta quinta-feira (9), 51% das UBSs da Capital não tinham o imunizante da Astrazeneca para aplicação da segunda dose. No dia seguinte, segundo apurou o G1, quase 100% dos postos não tinham estoque disponível.

Comentários

Tops da Gazeta