últimas notícias
Carnaval de rua de São Paulo (arquivo)
Carnaval de rua de São Paulo (arquivo)
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Doria diz que SP vai vetar festas de carnaval e que pode rever desfile

Em coletiva de imprensa nesta sexta, o governador do Estado afirmou que os festejos serão vetados, tanto em locais fechados quanto em abertos

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta sexta-feira (7) que sua gestão vai proibir festejos de carnaval, sejam eles realizados na rua ou em locais fechados. Além disso, afirmou que a realização do desfile no Sambódromo pode ser revista caso os indicadores da saúde justifiquem a decisão.

Com relação à volta de restrições que está sendo adotada por alguns municípios do Estado, como o caso da cidade de Amparo, que orientou o comércio a fechar as portas às 23h, Doria disse que vê as medidas com "naturalidade".

Ainda no discurso sobre a situação da saúde no Estado, Doria informou que espera pela aprovação da Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) para permitir o início ao uso da vacina CoronaVac em crianças. O texto conta com informações do g1.

Doria disse ainda que medidas mais severas do que aquelas adotadas pela gestão estadual podem ser determinadas pelos municípios a fim de enfrentar o aumento de casos de Covid e de gripe. O governador foi categórico ao afirmar que as cidades têm essa autonomia diante dos quadros de saúde locais.

"Neste momento, o Comitê não recomenda nenhuma restrição ao funcionamento de comércios e serviços. Recomenda, sim, restrição às aglomerações, e fortemente o uso permanente de máscaras em ambientes fechados e abertos. Vamos acompanhar dia a dia a evolução dos índices da ômicron", comentou Dória lembrando que a nova cepa provoca contaminações mais frequentes, mas com quadros mais leves.

Segundo Doria, a recomendação geral do governo do estado como medida restritiva frente à Covid é a de evitar aglomerações, mas isso não impede medidas mais severas nas cidades. "Nós reconhecemos, o que não podem é facilitar aquilo que o governo de São Paulo determinou [...] O governo entende que é a forma de respeitar o municipalismo e as decisões da área da saúde", complementou.

Com relação ao Carnaval de 2022 Doria disse que não pretende autorizar festas, ainda que em locais abertos. "Vamos deixar para o ano de 2023", falou Doria. Segundo ele, a questão dos desfiles de carnaval na capital paulista também está sob análise. "Embora seja uma decisão também do município, está sendo avaliado. Se tivermos uma evolução e um agravamento com esta variante ômicron, o tema será revisto sim [...] Não é o caso ainda, estamos acompanhando, mas dada a evolução acelerada, é um ponto de cautela e preocupação", explicou.

Coronavac para crianças

O tucano afirmou que, enquanto o governo do estado se prepara para a vacinação do público infantil com o imunizante da Pfizer, segue também no aguardo da aprovação da Anvisa quanto ao uso da Coronavac em crianças com idade entre 3 e 11 anos.

"Temos a expectativa de que a Anvisa, nos próximos dias, possa analisar e quem sabe deliberar positivamente sobre a aplicação da CoronaVac. Já é uma vacina aceita, segura, eficaz para vacinação de crianças de 3 a 11, vai até uma faixa etária um pouco inferior ao da [vacina] Pfizer, e isso neste momento está em análise pela Anvisa", disse o governador do Estado.

Doria afirmou também que dependerá apenas do recebimento de vacinas por parte do Ministério da Saúde para iniciar a vacinação de crianças com Pfizer dentro das próximas 3 semanas e que já tem toda a estrutura pronta para a campanha. "Estrutura pronta, seringas compradas, enfermeiros treinados." 

Comentários

Tops da Gazeta