X

REVITALIZAÇÃO

Com ares de shopping, Mercado Municipal de Santo Amaro reabre após incêndio

Concedido à iniciativa privada, local foi reformado e reabertura dessa semana se refere a parte do complexo

Joe Silva

Publicado em 06/12/2022 às 13:51

Atualizado em 06/12/2022 às 14:04

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Também concedido à iniciativa privada, o Mercadão de SP, no centro, coleciona polêmicas / Divulgação/Prefeitura de SP

Consumido pelo fogo em 2017, o Mercado Municipal de Santo Amaro reabre as portas na próxima sexta-feira (9). Com 11,5 mil m2– quase quatro vezes a metragem anterior – distribuídos em três pisos, o número de espaços comerciais no empreendimento salta de 25 para 120, além de 37 quiosques.

Nessa primeira fase, 53 operações já estarão abertas, com destaque para 19 permissionários que continuam no local desde o incêndio. O agora chamado Santo Mercado terá opções de serviços como um grande hortifruti (o antigo “sacolão”), salão de beleza, lotérica, caixas eletrônicos, clínica de massagem, drogaria e pet shop. Com um investimento superior a R$ 80 milhões realizado pelo Concessionário Fenix, o projeto ainda contempla mais uma fase, prevista para o primeiro semestre de 2023: um rooftop com mais de 500 m² área e vista para a Represa do Guarapiranga.

Inaugurado em 1897 e desde 1961 ocupando o mesmo local, o Mercado Municipal de Santo Amaro foi acometido por um incêndio em 25 de setembro de 2017 que comprometeu mais de 70% de sua estrutura. O local possuía 3.600 m² de área construída e cerca de 25 boxes, incluindo um sacolão e restaurantes. Em agosto de 2019, o então prefeito Bruno Covas assinou o contrato de concessão por 25 anos do Mercado Santo Amaro ao Consórcio Fênix que, no mesmo ano, deu início ao processo de construção, recuperação, ampliação e revitalização do empreendimento.

Também concedido à empresa, Mercadão chegou a vender bandeja a R$ 800

Assim como o municipal de Santo Amaro, o Mercado Municipal Paulistano, na região central da Capital, chegou a vender bandejas de frutas a R$ 800,00, segundo relatos de clientes nas redes sociais. À época, o caso gerou polêmica e acabou com a interdição de barracas, multa para os comerciantes e fiscalizações do Procon.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Guardião e protetor

Exu é o diabo? Conheça essa entidade na umbanda

Exu é uma entidade muito presente nas religiões de matriz africana e a Gazeta te conta tudo sobre o guardião da umbanda; leia

O Santo Casamenteiro

Dia de Santo Antônio: conheça o padroeiro que prepara casamentos

Veja a história e os milagres de Santo Antônio, um dos santos mais queridos e venerados da Igreja Católica.

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter