X

Homofobia

Dossiê aponta que SP é o estado que mais mata pessoas LGBTI+ no país

Em 2021, foram 42 mortes no estado, 44% a mais que em 2020, quando aconteceram 29

Da Reportagem

Publicado em 11/05/2022 às 14:24

Atualizado em 11/05/2022 às 14:45

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Bandeira da comunidade LGBTQIA+ / Daniel James/Unsplash

O  Dossiê Mortes e Violências contra LGBTI+ no Brasil, divulgado nesta quarta-feira (11), mostra que o estado de São Paulo é o que mais mata lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersexo no país. Em 2021, foram 42 mortes no estado, 44% a mais que em 2020, quando aconteceram 29.

A capital paulista também é que mais mata essa população no país. Foram 13 mortes no ano passado. Em seguida, está Salvador, com 11 mortes, Manaus e Rio de Janeiro, com 8 cada uma.

Em todo o Brasil, o número de mortes também cresceu, foram 316 no ano passado contra 237 em 2020.

Para Alexandre Bogas, coordenador do Dossiê Mortes e Violências contra LGBTI+ no Brasil, a principal fórmula para a resolução deste problema é a educação.

"Quando a gente puder discutir com tranquilidade todas as questões de diversidade sexual de gênero, direitos sexuais e reprodutivos, com liberdade de ouvir, escutar as pessoas do jeito que elas são, eu tenho certeza que essa é a principal fonte para a gente se educar, respeitar e educar os outros", disse Alexandre.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse que não comentará o relatório porque desconhece sua metodologia.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Futebol internacional e nacional

Confira agenda de jogos desta segunda-feira no futebol

Seleção brasileira estreia na Copa América contra a Costa Rica; confira também os confrontos da Eurocopa, Campeonato Brasileiro e Copa Paulista, e onde assistir ao vivo

Oportunidade

Prefeitura de Jundiaí abre 70 vagas de emprego esta terça-feira

Remuneração varia de acordo com o cargo oferecido, podendo ser de R$ 1.412 a R$ 1.901

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter