X

ECONOMIA

Locação de imóveis na Baixada Santista tem alta de 105% em julho

Segundo pesquisa do CRECISP, o mercado imobiliário também registrou uma alta de 41% na venda de imóveis usados

Luana Fernandes

Publicado em 23/08/2023 às 08:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Locação de imóveis na Baixada Santista aqueceu o mercado imobiliário em julho deste ano / Nair Bueno/DL


A locação de imóveis na Baixada Santista aqueceu o mercado imobiliário em julho deste ano: 105,08% de alta. Esta é a segunda maior alta do ano, perdendo somente para os índices de janeiro, que apontaram alta de 109,75. As vendas de imóveis usados também apresentaram aumento de 41,5%. No acumulado entre janeiro e julho de 2023, a evolução é de 163,3% para vendas e 240,6% para locações.

Os dados são da pesquisa do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (CRECISP), que comparou os mercados de venda e locação de casas e apartamentos em julho com os resultados obtidos em junho na Região. Foram consultadas 51 imobiliárias das cidades de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente.

“Estamos em um momento de retomada de investimentos e estão previstos 08 novos empreendimentos imobiliários em 5 cidades da Baixada. E esse desenvolvimento já vem se refletindo nos bons números do mercado de imóveis usados, fazendo girar a roda da economia da região”, ressaltou o presidente do CRECISP, José Augusto Viana Neto.

Vendas

A maioria das casas vendidas no período tinha valores até R$ 400 mil. Eram casas de dois dormitórios, com área útil variando de 50 a 100 m². Para os apartamentos, a faixa de preço preferida dos compradores ficou em até R$ 350 mil, para imóveis de dois dormitórios e área útil de 51 até 100 m². 44,7% das propriedades vendidas em julho estavam situadas na periferia, 29,2% nas áreas centrais e 26,1% nas áreas nobres.

O financiamento pela CAIXA foi a modalidade de compra escolhida por 30,7% dos compradores. Depois vieram os negócios à vista (27,7%), o parcelamento feito por proprietários (20,8%), o financiamento por bancos privados (18,8%) e os consórcios (2,0%).

Locações

A faixa de valor de aluguel preferida pelos inquilinos de casas na região de Baixada Santista foi de até R$ 2 mil. A maioria das casas locadas em julho era de dois dormitórios com 51 até 100 m² de área útil. O valor de aluguel de apartamentos preferido ficou na faixa de até R$ 2.500,00; para imóveis com até dois dormitórios e área útil de 51 até 100 m².

A principal garantia locatícia escolhida pelos locatários foi o depósito caução. Os novos inquilinos optaram por imóveis situados na periferia das cidades pesquisadas (43,1%), nas áreas nobres (39,2%) ou no centro (17,6%).

E daqueles que encerraram os contratos de locação, 39,5% se mudaram para imóveis com aluguel mais barato; 30,2% não informaram o motivo da mudança; e 30,2% se mudaram para imóveis com aluguel mais caro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Transportes

SPTrans abre Licitação para centralizar arrecadação bilionária do Bilhete Único

Empresa busca instituição financeira para gerenciar cerca de R$ 7,2 bilhões arrecadados anualmente com o Bilhete Único

NEGÓCIOS e economia

Fusão com Grupo Soma: Arezzo&Co; muda nome para Azzas 2154

Nova denominação faz parte da fusão com o Grupo Soma e ações serão negociadas na B3 sob o ticker "AZZA3"

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter