X

DESDOBRAMENTO

Polícia investiga se jovem que executou família na Capital agiu sozinho ou se houve influência

Os corpos de Isac Tavares, Solange Aparecida Gomes, e Letícia Gomes foram encontrados com marcas de tiros efetuados por uma pistola e já estavam em processo de decomposição

Matheus Herbert

Publicado em 21/05/2024 às 13:28

Atualizado em 23/05/2024 às 16:01

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A Polícia Civil de São Paulo segue investigando o caso do adolescente de 16 anos que executou a tiros o pai, mãe e irmã dentro de casa, na Vila Jaguara / Reprodução

A Polícia Civil de São Paulo segue investigando o caso do adolescente de 16 anos que executou a tiros o pai, mãe e irmã em casa, na Vila Jaguara, na zona oeste da capital paulista. Agora, os investigadores querem saber se o jovem agiu sozinho ou se houve influência de outras pessoas. O menor foi apreendido na madrugada desta segunda-feira (20) e encaminhado para uma unidade da Fundação Casa. 

O delegado Roberto Afonso, do 33° Distrito Policial (DP) de Pirituba, disse ao programa “Cidade Alerta”, da TV Record, que o celular e o computador do jovem foram apreendidos e encaminhados à perícia.

“Vamos ver se havia algum interlocutor com ele no telefone, razão pela qual ele se sentiu muito frustrado quando os pais recolheram o aparelho de telefonia móvel dele. Precisamos entender se essa frustração foi relacionada a algum tipo de transtorno ou se houve uma problemática de terceiro envolvido”, disse o delegado para a Record. 

Menor ligou para a PM e confessou os crimes 

O boletim de ocorrência aponta que o adolescente ligou para a Polícia Militar na noite de domingo (19) e afirmou que havia matado os familiares usando a arma do pai, que era da Guarda Civil Municipal de Jundiaí, no interior paulista.

Os policiais foram até a casa da família, na rua Raimundo Nonato de Sa, e encontraram o adolescente. Ele disse que havia cometido o crime na última sexta-feira (17) porque estava com raiva dos pais por tomarem seu celular. 

Os corpos de Isac Tavares Santos, de 57 anos, Solange Aparecida Gomes, de 50 anos, e Letícia Gomes Santos, de 16, foram encontrados com marcas de tiros efetuados por uma pistola e já estavam em processo de decomposição. Eles estão no Instituto Médico Legal (IML), e ainda não há informações sobre o velório.

A pistola usada no crime foi achada na mesa da sala e estava carregada.

Na delegacia, o adolescente afirmou que sempre teve desentendimentos com seus pais, que eram adotivos.

Menor ainda cravou uma faca nas costas da mãe 

Em depoimento, o menor disse que sabia onde o pai escondia a arma e a testou antes dos assassinatos. Na sexta-feira (17), ele atirou contra o pai quando ele estava na cozinha e de costas. A irmã ouviu o disparo, foi até o cômodo e foi baleada no rosto.

O adolescente ainda relatou que foi para a academia após matar os dois. Ao retornar, esperou pela mãe, que foi assassinada assim que viu os corpos do marido e da filha. O adolescente ainda cravou uma faca nas costas da mãe no dia seguinte. 

Siga as notícias da Gazeta no WhatsApp ou pelo Google Notícias 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Confusão em Clássico Paulista

Goleiro do Corinthians chama Luciano de 'otário' nas redes sociais

Carlos Miguel se envolve em polêmica após empate com o São Paulo e será desfalque na próxima partida contra o Internacional

Leilão de Veículos em São Paulo

Leilão em São Paulo oferece veículos de luxo e econômicos na próxima quarta

Milan Leilões realiza evento presencial e online na Rodovia Raposo Tavares com destaques como Toyota, BMW e Ford; visitas acontecem nos dias 17 e 18 de junho

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter