X

Estado

Procurador que espancou a chefe no litoral é transferido para hospital psiquiátrico

Demétrius Oliveira de Macedo foi diagnosticado com esquizofrenia paranoide

Da Reportagem com Folhapress

Publicado em 09/03/2024 às 11:07

Atualizado em 09/03/2024 às 11:25

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Procurador está em hospital psiquiátrico - foto ilustrativa / Foto de Gratisography/Pexels

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

O procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 35 anos, que espancou a chefe em Registro, no interior de São Paulo, em junho de 2022, foi transferido para o Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico de Taubaté para continuidade do tratamento. Ele respondia por tentativa de homicídio contra a procuradora-geral da cidade, Gabriela Samadello Monteiro de Barros.

O homem foi absolvido em junho de 2023 ao ser considerado inimputável, já que laudos periciais apontaram que ele sofria de esquizofrenia paranoide. A transferência ocorreu em 6 de fevereiro.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O juiz Raphael Ernane Neves determinou internação em hospital de custódia por, no mínimo, três anos. Ele estava na Ala Ambulatiorial a Penitenciária 3 de Franco da Rocha desde 24 de março de 2023, segundo a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), onde fazia tratamento psiquiátrico provisório.

Baixada Santista registra quase um feminicídio por mês

Ao final do período, Macedo deve ser submetido a exame para comprovar que não oferece mais riscos à sociedade.

O exame deve, então, ser repetido anualmente, segundo a decisão.

A Reportagem ligou diversas vezes para o advogado que representa Macedo, mas ele não foi localizado.

Barros foi agredida violentamente pelo colega no local onde trabalhavam em Registro. A ação foi filmada por outros funcionários, e o vídeo circulou intensamente por diversos perfis nas redes sociais, ganhando repercussão nacional.

Após 2 anos em queda, número de feminicídios volta a aumentar em São Paulo

Segundo a procuradora, ambos passaram no mesmo concurso público e se conheceram no trabalho. Eles chegaram a ser amigos próximos.

O motivo da agressão seria a abertura de um procedimento disciplinar contra Macedo, determinado pela procuradora-geral, para apurar comportamentos inadequados dele no trabalho.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Leilão de veículos

Detran-SP realiza leilão online com lances a partir de R$ 2 mil

Carros conservados e sucatas disponíveis; visite e faça seu pré-lance em julho

Licitação

Prefeitura de Capivari abre licitação de R$ 807 mil para recapear ruas

Obras serão destinadas às ruas Vitório Gatti e Américo Forti, no bairro Porto Alegre; prazo de entrega da obra é de até 3 meses

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter