X

ACUSAÇÃO

Fala 'é coisa de preto' vaza em vídeo da Câmara de SP; Camilo Cristófaro é acusado de racismo

Cristófaro diz que a denúncia não procede

CARLOS PETROCILO, da FOLHAPRESS

Publicado em 03/05/2022 às 15:12

Atualizado em 03/05/2022 às 16:32

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Camilo Cristófaro (PSB) / CMSP

A vereadora Luana Alves (PSOL) acusou o vereador Camilo Cristófaro (PSB) de proferir uma frase com cunho racista durante sessão da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Aplicativos na Câmara Municipal de São Paulo, na manhã desta terça-feira (3).

Assista ao vídeo do momento em que a frase é dita:

 


A Folha de S.Paulo recebeu da assessoria de Luana o trecho do vídeo da sessão no qual é possível ouvir a frase "é coisa de preto, né". A reunião foi interrompida em seguida, após a frase ter sido escutada no sistema de som da Câmara. Depois prosseguiu.


Cristófaro diz que a denúncia não procede. Logo no início da sessão, Luana pediu que equipe técnica da Casa disponibilizasse o áudio.

"Me mostre uma prova. Não existe", escreveu o vereador à reportagem. "Não existe absolutamente nada, 70% dos que me acompanham são afros. E me orgulho deles", completou Cristófaro.


Segundo a assessoria de imprensa da vereadora, Cristófaro usou a expressão "coisa de preto" em uma frase em que falava da sujeira nas calçadas.


"Infelizmente a gente tem o início dessa sessão tumultuada por causa de um áudio, que aparentemente tem a voz do vereador Camilo Cristófaro. Ele pronuncia uma fala extremamente racista", disse a vereadora.


"Eu não queria acreditar que essa fala existiu, mas infelizmente existiu. Conversamos ali atrás, e pedi à secretaria da mesa as notas taquigráficas. Foi acordado que todos são testemunhas de ações posteriores que venham a decorrer dessa fala infeliz do vereador", completou Luana.


Adilson Amadeu (União Brasil), que preside a CPI dos Aplicativos, solicitou que Cristófaro fosse à Câmara para esclarecer o episódio. Cristófaro participava de forma virtual da sessão, enquanto Luana compõe a bancada da CPI dos Aplicativos.

 

NOTA DA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA DE SP

 

"É com uma indignação imensa que lamento mais uma denúncia de episódio racista dentro da Câmara de Vereadores de São Paulo, local democrático, livre e que acolhe a todos.

 

Como negro e presidente da Câmara tenho lutado com todas as forças contra o racismo, crime que insiste em ser cometido dentro de uma Casa de Leis e fora dela também.

 

O caso será apurado pela Corregedoria da Câmara Municipal de São Paulo."

 

*Milton Leite*

Presidente da CMSP

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Prefeitura de SP tem 50 vagas para região sul do Estado; confira

Serão ofertadas 40 vagas para auxiliar de limpeza e 10 para auxiliar de manutenção predial

Acidente

Caminhoneiro morre carbonizado após tombar na rodovia Raposo Tavares

Carreta carregava farinha e trafegava no sentido interior-capital, quando tombou ao acessar o dispositivo de retorno que há no local

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter