X

SAÚDE

Quem tem asma ou rinite pode ter pets?

Com algumas medidas, convivência entre alérgicos e pets pode ser possível

Gladys Magalhães

Publicado em 31/05/2024 às 16:15

Atualizado em 18/07/2024 às 22:50

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Cães e gatos podem provocar alergias devido a alérgenos presentes nos pelos, na pele ou na saliva dos animais / Dominika Roseclay por Pexels

A convivência com cães e gatos é motivo de alegria para a maioria dos tutores. Contudo, para uma parcela deles, ela também é causadora de preocupações, como é o caso dos alérgicos.

Para quem sofre de asma ou rinite, por exemplo, a convivência com pets é possível. Contudo, ela deve ser cercada de cuidados.

“A resposta do sistema imunológico a alérgenos é individual, varia de pessoa para pessoa. Então, alguns indivíduos podem conviver com animais de estimação com menos problemas alérgicos do que outros”, explica a bióloga Andreia Aparecida de Oliveira Silva, coordenadora do curso de Biomedicina da Estácio.

O pneumologista Rafael Futoshi, do Hospital Nipo Brasileiro, completa: “Para minimizar os sintomas de asma e rinite, deve-se realizar o tratamento contínuo com medicações conforme orientação médica, mas a pessoa deve ter ciência de que a convivência com o animal pode causar a piora dos sintomas de sua doença.”

O que fazer para amenizar a alergia?

Para amenizar as reações alérgicas, além de seguir as orientações médicas, é possível tomar algumas providências, como as seguintes:

1. Aumente a frequência de higiene do animal

“No caso dos cães, é possível verificar, de acordo com a raça, a necessidade dos banhos e secagem dos pelos, além de observar o tipo de produto utilizado no pet, pois, às vezes, a alergia está associada ao tipo de produto e não ao pelo”, diz Andreia

Já para os gatos, que normalmente não tomam banho em pet shop, a bióloga orienta escovar os pelos diariamente em ambiente aberto com escovas nas quais o pelo fique preso e seja descartado diretamente no lixo.

2. Limpe a casa diariamente

O ideal é que a limpeza seja realizada com aspirador e pano úmido com água e detergente neutro, ou, em alguns casos, com álcool diluído.

3. Limite o espaço do pet

“É importante limitar a circulação do pet dentro de casa, proibindo, por exemplo, que ele entre no quarto”, orienta Rafael.  

4. Preste atenção na alimentação do animal

“Uma importante medida para quem tem gatos é prestar atenção na alimentação, alguns alérgenos estão relacionados com a composição da saliva do gato, como o gato lambe os pelos os componentes da saliva podem ser o causador”, explica Andreia.

Dessa forma, recomenda-se que a alimentação dos gatos seja sempre a mesma, evitando a troca de rações. “Assim, o gato sempre produzirá a saliva com os mesmos componentes, o tutor produzirá anticorpos e as crises tendem a diminuir”, diz a bióloga.

Raças ideais para alérgicos

De modo geral, cães e gatos podem provocar alergias devido a alérgenos presentes nos pelos, na pele ou na saliva dos animais. Neste sentido, há quem defenda que existam algumas raças que produzem menos alérgenos ou têm características que ajudam a reduzir a exposição a alérgenos.

Entre os cães, o poodle e o schnauzer teriam tais características. Enquanto, no mundo dos gatos, o siberiano e o balinese seriam os ideais. Contudo, mesmo escolhendo uma dessas raças como pet, adotar os cuidados para amenizar alergias continua válido.

“É importante lembrar que a reação alérgica é individual, e não existe uma raça totalmente hipoalergênica. A convivência com essas raças pode ainda necessitar de medidas adicionais para controlar a exposição a alérgenos”, ressalta Andreia.

Asma e rinite: por que acontecem?

Segundo o pneumologista Rafael, a asma e a rinite são doenças causadas por alergia a substâncias que estão no ambiente. As causas mais comuns de alergia respiratória no ambiente doméstico são: poeira, ácaro, barata, mofo, animais, pólen, entre outros.

Produtos de limpeza, desinfetantes, farinha, verniz, formol, tintura de cabelo, luvas de látex, também são substâncias que costumam causar alergias, bem como a poluição do ar contribui para o desenvolvimento de asma, principalmente em crianças.

A genética é outro ponto de contribuição importante para o desenvolvimento de asma e rinite, sendo que os principais sintomas da rinite são: coriza, nariz entupido, espirros, coceira no nariz, tosse crônica e respiração oral.

Já os principais sintomas da asma são: chiado no peito, crises de falta de ar, sensação de aperto no peito, tosse, cansaço ao fazer exercícios, com piora desses sintomas quando se expõe a uma substância alérgica ou ao frio.

“É importante que a pessoa com asma ou rinite faça acompanhamento médico frequente, para evitar crises mais graves e minimizar os riscos das doenças. A asma, quando não tratada, pode levar a sintomas graves como falta de ar, procura frequente a serviços de emergência, hospitalização e até óbito”, alerta Rafael.

Neste sentido, finaliza o médico, “os donos de pets com asma e rinite devem ser investigados sobre alergia aos animais, pois isso pode ser uma causa de agravamento da doença.”

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

falha no atendimento médico

Bebê morre após ser liberado duas vezes de UPA no Interior

A mãe alega que pediu para o médico dar soro para a criança, o que foi negado

PARQUE EM SP

São Paulo ganha parque inclusivo na zona leste; conheça

Espaço é aberto para pets e conta com mirante e palco para shows

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter