Publicidade

X

POLUIÇÃO

Veja as 10 cidades mais poluídas do estado de São Paulo

Lista conta com cidades do interior, litorâneas, além da própria Capital

Leonardo Sandre

Publicado em 03/04/2024 às 20:00

Atualizado em 03/04/2024 às 22:14

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

A lista conta com cidades do interior, litorâneas, além da própria Capital / Thiago Neme/Gazeta de S.Paulo

A IQAir realizou o relatório World Air Quality de 2023, que mostra as cidades e países com pior qualidade de ar do mundo. O documento foi divulgado nesta semana e traz dados de 7,8 mil localidades em 134 países.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Baseado neste estudo, a Gazeta separou as 10 cidades com maior índice de poluição no estado de São Paulo.

A lista conta com cidades do interior, litorâneas, além da própria Capital. Veja mais abaixo.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Qualidade do ar nas cidades paulistas

O ar que o paulistano respira está cada vez mais poluído, de acordo com a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

Osasco, na região metropolitana de São Paulo, é a segunda cidade com maior poluição do Brasil. Outras cidades paulistas com indicador da qualidade do ar entre três e cinco vezes pior do que o recomendado pela OMS são: Guarulhos, Rio Claro e Cubatão.

Dez cidades mais poluídas de São Paulo

Baseado na concentração de material particulado (MP 2,5), em micrograma por m³. Veja abaixo todas as cidades brasileiras analisadas.

  1. Osasco (Grande São Paulo): 19,4 (excede de 3 a 5 vezes o parâmetro da OMS);
  2. Guarulhos (Grande São Paulo): 16 (excede de 3 a 5 vezes o parâmetro da OMS);
  3. São Caetano (ABC Paulista): 15,9 (excede de 3 a 5 vezes o parâmetro da OMS);
  4. Rio Claro (interior paulista): 15,5 (excede de 3 a 5 vezes o parâmetro da OMS);
  5. Cubatão (litoral paulista): 15,4 (excede de 3 a 5 vezes o parâmetro da OMS);
  6. Campinas (interior paulista): 15 (excede de 2 a 3 vezes o parâmetro da OMS);
  7. Mauá (ABC Paulista): 14,6 (excede de 2 a 3 vezes o parâmetro da OMS);
  8. São Paulo (Capital): 14,3 (excede de 2 a 3 vezes o parâmetro da OMS);
  9. Santos (litoral paulista): 13,1 (excede de 2 a 3 vezes o parâmetro da OMS);
  10. Ribeirão Preto (interior paulista): 13 (excede de 2 a 3 vezes o parâmetro da OMS);
Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EM MARÇO

Venda de carros 100% elétricos teve aumento de 973% em relação ao ano passado

Os híbridos venderam 7.411 exemplares em março, com aumento de 9,5% em relação a fevereiro deste ano e de 37,4% em comparação a março de 2023

Combate a dengue

Pesquisa do Procon-SP aponta queda de 6% nos repelentes; veja

Na pesquisa anterior, o preço médio era de R$ 25 e em abril, abaixou para R$ 23,52

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter