últimas notícias
No primeiro semestre de 2019, Taboão da Serra registrou 12 acidentes com vítimas fatais
No primeiro semestre de 2019, Taboão da Serra registrou 12 acidentes com vítimas fatais
Foto: THIAGO NEME/GAZETA DE S.PAULO

Número de mortes no trânsito diminui 33% no primeiro semestre em Taboão da Serra

Em Embu das Artes, segunda maior cidade da região, a diminuição foi de 6,25% no semestre

Os dados recém-divulgados pelo governo do Estado, através do InfoSiga, mostram uma diminuição de 33% no número de mortes no trânsito em Taboão da Serra no primeiro semestre de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado.

No primeiro semestre de 2019, Taboão da Serra registrou 12 acidentes com vítimas fatais. Já neste ano, nos seis primeiros meses, o número de mortes caiu para oito. Janeiro e fevereiro de 2020 foram os meses que mais registraram casos, com dois óbitos em cada mês. Entre março e junho, a cidade registrou uma morte mensal.

Leia mais: 

Em Embu das Artes, segunda maior cidade da região, a diminuição foi de 6,25% no semestre. Em 2019 foram registrados 16 óbitos em decorrência a acidentes de trânsito no município, já em 2020, o número caiu para 15 no mesmo período.

Itapecerica da Serra foi uma das poucas cidades da Grande São Paulo a apresentar um aumento no número de acidentes fatais nesse período. Em 2019, nos seis primeiros meses, o número de óbitos registrados foi de 10. Agora, neste ano, o número saltou para 12, um aumento de 20%.

Já Embu-Guaçu registrou uma diminuição de 66% no número de mortes no trânsito, caiu de nove para três, neste ano. Juquitiba também registrou uma redução de 28,5%, saindo de sete óbitos para cinco. A pacata São Lourenço da Serra registrou apenas uma morte neste semestre, mesmo número do período no ano passado.

Uma das explicações para a diminuição dos óbitos pode ser a pandemia, que diminuiu o volume de carros e pedestres nas ruas de Taboão da Serra e região, além de todo Estado de São Paulo de forma geral. Em todo o Estado, no ano, a redução é de 11,4% nas fatalidades (2.726 contra 3.078 nos primeiros sete meses de 2019).

“Em função da pandemia da COVID-19, a mobilidade passa por uma intensa transformação. Com um menor número de pessoas transitando por ruas e estradas, os acidentes caíram na mesma proporção. Esse cenário beneficiou principalmente os pedestres, os mais expostos em caso de acidentes. Hoje, esse grupo registra o menor número de mortes dos últimos 5 anos”, diz o presidente do Detran.SP, Ernesto Mascellani Neto.

Na região metropolitana de São Paulo, a redução foi de 20%, sendo que a capital teve queda de 32% (48 fatalidades contra 71 em 2019).

Acidentes fatais em vias municipais registraram redução de 10,9% em julho. Já nas rodovias que cortam o estado, a queda foi ainda mais expressiva (-22,1%). As ocorrências concentram-se no período noturno (55,5%) e nos finais de semana (45,8%). A maior parte das vítimas é homem (87,3%) e condutor do veículo (61,7%), enquanto as colisões entre veículos foram o principal tipo de acidente (38,6%).

Comentários

Tops da Gazeta