últimas notícias
Prefeitos da região do ABC Paulista, na Grande São Paulo, se reuniram na tarde de terça-feira
Prefeitos da região do ABC Paulista, na Grande São Paulo, se reuniram na tarde de terça-feira
Foto: Helber Aggio/PSA

Cidades do ABC contrariam governo de SP e adiam aulas presenciais

Retomada fica condicionada à disponibilidade da vacinação contra a Covid-19 e prefeitos trabalham com as datas de 18 de fevereiro para retomada na rede particular e 1º de março na rede pública

Na tarde desta terça-feira, o consórcio que reúne as sete prefeituras da região do ABC Paulista, decidiu que nenhuma escola vai retomar as aulas presenciais no dia 1º de fevereiro, como divulgou o governo do Estado. A região é formada pelas cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

De acordo com o consórcio, a retomada das aulas presenciais nas escolas particulares, municipais e estaduais vai ficar condicionada à disponibilidade da vacinação contra a Covid-19, que é prevista para começar no próximo dia 25 de janeiro.

Leia mais:

Ainda de acordo com o consórcio, caso a vacinação realmente seja iniciada na data divulgada, a expectativa dos prefeitos do ABC é que as aulas presenciais na rede particular seja iniciada no dia 18 de fevereiro. Já a rede pública iria retomar as aulas no dia 1º de março.

Caso a vacinação não aconteça a partir do dia 25, uma nova assembleia dos prefeitos será convocada e as novas datas serão definidas.

"A perspectiva é muito positiva para o início da vacinação, ainda que não no ritmo que todos gostaríamos, mas vamos trabalhar com essas duas datas. As escolas estão se preparando e as cidades estão se preparando dentro de todos os critérios e protocolos já estabelecidos. Nas sextas-feiras, só aula virtual e aquele rodízio durante a semana, para que as aulas voltem com segurança", disse Paulo Serra, prefeito da cidade de Santo André.

Rede estadual.

O governo do Estado definiu a volta às aulas presenciais para o dia 1º de fevereiro na rede estadual, mesmo se houver piora na pandemia do coronavírus. Para isso, a gestão estadual mudou uma definição do Comitê de Combate à Pandemia. Até então, os alunos da Educação Básica voltariam apenas nos municípios em fase pelo menos amarela do Plano de Flexibilização da quarentena contra o coronavírus.

"A partir do dia 26 de janeiro entraremos em uma semana de planejamento com os professores, diretores e equipes escolares para tratar dos cuidados e preparativos para a retomada. Serão mais de 200 mil profissionais envolvidos diretamente com o retorno. Aqueles que são grupos de risco permanecem afastados, com educação à distância, e, obviamente a gente vai estar trabalhando com rodízio, especialmente nas duas primeiras semanas com até um terço dos alunos em sala por dia", disse Rossieli Soares, secretário estadual de Educação.

Comentários

Tops da Gazeta