últimas notícias
O evento aconteceu na rua João da Cruz e Souza, no Jardim Munhoz Júnior, em Osasco
O evento aconteceu na rua João da Cruz e Souza, no Jardim Munhoz Júnior, em Osasco
Foto: REPRODUÇÃO/TV RECORD

Barbearia de Osasco é interditada após festa com 100 pessoas

Local não tinha ventilação nem condições de segurança e realizava eventos com artistas ao vivo

Uma festa clandestina com cerca de 100 pessoas foi interrompida pela Polícia Civil em Osasco, na madrugada desta quinta-feira (29). O evento acontecia na rua João da Cruz e Souza, no Jardim Munhoz Júnior, segundo o Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos).

A ação fazia parte do Comitê de Blitz criado pelo governo de São Paulo para reforçar a fiscalização do cumprimento das medidas restritivas contra a pandemia e atuar contra festas e aglomerações.

O local, que de dia funcionava como uma barbearia, à noite era transformado em uma balada clandestina. Toda a estrutura era improvisada para dar conta da festa. Um tapume de madeira era improvisado como porta de entrada, bloqueando a visão de quem passava pela rua, para não levantar suspeita da aglomeração que acontecia dentro do estabelecimento.

No entanto, mesmo com o bloqueio, o som alto, com artistas que se apresentavam ao vivo, denunciou a festa. O texto conta com informações do “R7”.

De acordo com a “Record TV”, os policiais se aproximaram do local sem que os frequentadores percebessem. Assim que as equipes entraram, o som foi imediatamente cortado.

Dentro da barbearia, 106 pessoas consumiam bebidas alcoólicas e faziam uso de narguilé, além de se aglomerarem em um local com pouca ventilação. Dentre os presentes, 64 não utilizavam máscara de proteção, essencial para o combate à transmissão do coronavírus.

No local, a polícia apreendeu equipamentos de controle de som, computadores, duas máquinas caça-níqueis e cinco máquinas de cartão.

Após apresentarem a documentação, os frequentadores foram liberados para evitar aglomerações na delegacia. Sete pessoas, entre organizadores e músicos, foram encaminhadas para a delegacia e autuadas por infração de medida sanitária preventiva.

A multa para cada pessoa que estava no evento pode chegar a R$ 500, mas caso a pessoa estiver sem máscara, o valor pode chegar a até R$ 5 mil. O estabelecimento foi autuado pelo Procon e, posteriormente, lacrado.

Leia mais: 

Comentários

Tops da Gazeta