últimas notícias
Sem internações há um mês, hospital de campanha de São Caetano encerrou as atividades na tarde desta quarta-feira
Sem internações há um mês, hospital de campanha de São Caetano encerrou as atividades na tarde desta quarta-feira
Foto: Divulgação/PMSCS

Sem internações há um mês, hospital de campanha de São Caetano do Sul encerra atividades

Reativado no dia 20 de março, o equipamento funcionou por quase seis meses com estrutura para atender os casos de baixa e média complexidades, com 48 leitos de enfermaria e 30 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI)

A Prefeitura de São Caetano do Sul, no ABC Paulista, vai encerrar nesta quarta-feira (15) as atividades do hospital de campanha, que funciona no antigo Hospital São Caetano, no bairro Santo Antônio. Reativado no dia 20 de março, o equipamento funcionou por quase seis meses com estrutura para atender os casos de baixa e média complexidades, com 48 leitos de enfermaria e 30 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Desde a primeira quinzena de agosto o hospital não recebe novas internações. O encerramento coincide com a alta aos três últimos pacientes. A enfermaria funcionou no 4º andar do Hospital São Caetano, enquanto o 3º andar ficou reservado à UTI, regulada pelo Estado. Ao longo do período ocorreram 329 internações em enfermaria e 96 na UTI.

Nos meses em que a segunda onda da pandemia atingiu o estágio mais grave, em março e abril, o hospital internou respectivamente 67 e 73 pessoas em enfermaria – a UTI foi aberta em maio. Em agosto, o hospital recebeu 18 internações em enfermaria e 20 na UTI.

“Durante a primeira quinzena de setembro, ficamos com quatro pacientes internados, sendo dois na enfermaria (que terão alta nesta quarta) e dois em UTI, dos quais um já teve alta. Desde a segunda quinzena de junho observamos queda na taxa de ocupação de nossos hospitais. Ainda assim, vamos manter a estrutura do Complexo Hospitalar, que é robusta e atende bem nossa demanda atual com 48 leitos de enfermaria e 50 de UTI”, afirmou o secretário de Saúde, Danilo Sigolo.

Mais de 160 profissionais foram contratados para o hospital de campanha entre médicos, enfermeiros,  recepcionistas, porteiros, seguranças e auxiliares de limpeza. 

O custo de manutenção do hospital no último mês foi de cerca de R$ 2 milhões. O valor cobriu os custos de internações, serviços especializados, locação do parque de equipamentos, serviços técnicos laboratoriais e de diagnósticos, além da equipe de profissionais.

“Seguimos trabalhando com seriedade e responsabilidade no enfrentamento da pandemia e, consequentemente, no atendimento da população. As reuniões com nosso Comitê de Emergências para estratégias de combate à pandemia continuam acontecendo com a mesma frequência e analisando todos os dados da cidade, norteando a equipe para a tomada de decisão”, disse o prefeito Tite Campanella.

O médico coordenador do hospital de campanha, Arthur Felipe Rente, comemorou o resultado do trabalho feito junto com toda sua equipe. “Pegamos várias fases da pandemia: dos piores dias, quando atingimos picos de internação, aos bons resultados, com a queda de internações, reflexo do alto índice de população vacinada. Acompanhamos muitas pessoas que deixaram seus familiares com o rosto agoniado e a festa do reencontro. São dezenas de histórias de superação e a certeza do nosso dever cumprido.”

Aberto pela primeira vez em 17 de abril de 2020, o hospital de campanha de São Caetano recebeu 193 pacientes (dos quais 190 se recuperaram) até 26 de agosto do ano passado, quando o funcionamento foi interrompido pela primeira vez em virtude da diminuição dos casos de covid-19 na cidade na época e da baixa taxa de ocupação.

Comentários

Tops da Gazeta