últimas notícias
No estado de São Paulo estão em disputa 69 lotes de imóveis, sendo nove propriedades na Capital
No estado de São Paulo estão em disputa 69 lotes de imóveis, sendo nove propriedades na Capital
Foto: Divulgação

Com R$ 23 mil é possível comprar um imóvel em leilão do Santander

Valor corresponde ao lance mínimo de uma sala comercial no centro de Salvador, na Bahia

Até o dia 26 de junho, às 10h, o banco Santander, em parceria com a Mega Leilões, realiza um Super Feirão de Imóveis, com a venda de propriedades comerciais e residenciais, além de terrenos e imóveis rurais.

Ao todo estão em disputa 259 lotes, com imóveis espalhados em todo o Brasil e lances iniciais entre R$ 23 mil, para uma sala comercial, de 23 m², localizada no centro de Salvador, na Bahia, e R$ 6 milhões, valor pedido por uma casa de mais de 1,5 mil m², no bairro de Itanhanga, no Rio de Janeiro.

No estado de São Paulo, estão à venda 69 imóveis, sendo nove na Capital. Na cidade, é possível adquirir, por exemplo, uma casa de 236 m², no bairro Chácara Santo Antonio, avaliada em quase R$ 1 milhão, a partir de R$ 480,5 mil.

Já um apartamento residencial, desocupado, com 411 m² de área útil, na Vila Anhanguera, possui lance inicial de R$ 832 mil. Vale ressaltar que o imóvel está avaliado em mais de R$ 2 milhões. Outra boa oportunidade é um apartamento na Vila Taquari, que possui valor mínimo de R$ 124 mil.

Leia Mais

Obra invisível é vendida por quase R$ 100 mil na Itália

Segundo a empresa leiloeira, o banco Santander Brasil financia até 80% do imóvel, em um prazo de 420 meses. Além disso, o Super Feirão tem como diferencial a quitação pelo banco dos débitos de IPTU e condomínio até a data do leilão. A Mega Leilões oferece ainda a desocupação do imóvel em todas as capitais, ou o pagamento das custas cartorárias.

Os interessados em participar do pregão devem se inscrever no site da leiloeira e se habilitar para realizar ofertas. Na página é possível ter mais informações sobre os imóveis disponíveis, ver fotos, bem como acessar o edital do leilão.

Comentários

Tops da Gazeta