últimas notícias
Tropas da Guarda Nacional reforçam a zona de segurança no Capitólio, em Washington, para  a posse
Tropas da Guarda Nacional reforçam a zona de segurança no Capitólio, em Washington, para a posse
Foto: J. SCOTT APPLEWHITE/ASSOCIATED PRESS

Em clima de tensão, posse de Biden não terá desfile e público

Cerimônia de posse do presidente eleito ocorre nesta quarta-feira (20) sob forte esquema de segurança; Trump não irá participar de evento de transição de cargo

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, toma posse nesta quarta-feira, 20 de janeiro. Por causa da pandemia e da ameaça de protestos violentos, a cerimônia não terá desfile, bailes e presença do público.

Em Washington, capital do país, o clima é de tensão. A região central - onde fica a Casa Branca, o Congresso americano, os prédios federais e os monumentos - está fechada, sob segurança máxima.

Nesta segunda-feira (18), oficiais do Departamento de Defesa dos EUA alertaram sobre a possibilidade de um "ataque interno" durante a posse de Biden. Por causa desse alerta, cerca de 15 mil homens da Guarda Nacional e vários veículos militares estão na cidade para tentar garantir uma transição pacífica de poder.

A preocupação com a cerimônia ocorre , principalmente, após a invasão ao Capitólio por apoiadores de Donald Trump, no último dia 6 de janeiro.

Leia mais:

Impeachment de Trump é aprovado na Câmara e agora segue para o Senado

Trump
O presidente Donald Trump não irá à cerimônia de posse de seu sucessor. O presidente será o quarto na história americana a não participar da cerimônia de transição de cargo, a última vez que isso ocorreu foi há 152 anos.

Segundo a “Bloomberg”, Trump fará um evento alternativo para sua despedida nesta quarta-feira. A cerimônia deverá ocorrer na Base Conjunta Andrews, em Maryland, quatro horas antes de Biden fazer seu juramento na capital dos Estados Unidos. O evento deve ter a presença de apoiadores e ex-funcionários do governo Trump.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta