Publicidade

X

CUIDADO

Fabricante do Ozempic alerta para golpe na venda de remédios

A recomendação é lidar apenas com "farmácias confiáveis". Outra possibilidade é buscar farmácias pelo site do Programa NovoDia

Danielle Castro - Folhapress

Publicado em 14/11/2023 às 14:03

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Novo Nordisk, fabricante de medicações usadas para tratar diabetes e, off label, gerar emagrecimento, como Ozempic e Rybelsus, disparou um alerta de golpe aos usuários / Divulgação

 A Novo Nordisk, fabricante de medicações usadas para tratar diabetes e, off label, gerar emagrecimento, como Ozempic e Rybelsus, disparou um alerta de golpe aos usuários. A mensagem informa que seus funcionários "não entram em contato oferecendo promoções diferenciadas" e pede que os pacientes desconfiem de "qualquer mensagem" com este perfil.

A recomendação é lidar apenas com "farmácias confiáveis". Outra possibilidade é buscar farmácias pelo site do Programa NovoDia, ferramenta disponibilizada pela farmacêutica que permite encontrar o local credenciado mais próximo a partir do código de endereçamento postal (CEP).

Em caso de dúvidas sobre a procedência dos remédios, a orientação é acessar a página da empresa para consultar os produtos comercializados, e procurar o atendimento ao consumidor.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado

À Folha de S.Paulo, a Novo Nordisk informou que a denúncia chegou via SAC e que o "alerta foi realizado pois a Novo Nordisk tomou conhecimento de que pessoas têm se passado por colaboradores para realizar vendas de produtos".

A empresa não especificou por quais meios foram feitas as tentativas de golpe, mas reforçou que a Novo Nordisk não faz venda direta e que todos os produtos da fabricante "são comercializados por meio de farmácias e drogarias homologadas pela Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]."

A Novo Nordisk não confirmou se os contatos se restringiam à venda de Ozempic ou se também afetavam outras medicações sob patente da empresa que imitam o hormônio GLP-1, ligado à saciedade.

Se enquadram no perfil produtos como Victoza e Saxenda, feitos à base de liraglutida, que são usados para tratar diabetes tipo 2 e obesidade, respectivamente. As novas tecnologias de GLP-1 têm revolucionado a indústria de medicamentos para perda de peso por apresentarem resultados significantes com maior segurança para o sistema cardiovascular.

LOTES FALSIFICADOS

Em outubro, o Brasil registrou casos de falsificação de Ozempic. A Novo Nordisk alertou a Anvisa de que a empresa não reconhecia como original o lote LP6F832, com validade até novembro de 2025. Além disso, unidades do lote MP5C960 apresentavam na embalagem descrição em espanhol e concentração diferente da original, indicando a fraude.

O país teve ao menos dois episódios de produtos fraudados e um de divulgação irregular do medicamento, segundo resoluções da Anvisa publicadas no Diário Oficial da União.

A injeção de Ozempic, assim como Rybelsus, versão em comprimido do mesmo medicamento, é recomendada e liberada no Brasil apenas para tratamento de diabetes tipo 2, mas ganhou grande projeção mundial como emagrecedor.

A semaglutida, princípio do remédio que leva a mais perda de peso que a liraglutida, provoca reduções de até 17% do peso. Também foi liberada este ano (em outra dosagem) para o tratamento de obesidade com comorbidade sob o nome de Wegovy, mas ainda não está à venda. Não há versão genérica ou biossimilar do produto, que só pode ser comercializado pela Novo Nordisk até o final da patente, previsto pelo menos até 2026 no caso da injeção e para 2031, no caso do formato comprimido.

Pouco antes, as falsificações de Ozempic repercutiram também na Europa e na América Central e do Norte, onde também houve denúncias de produtos adulterados sendo vendidos como originais, levando a um alerta às agências sanitárias internacionais.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CASOS EM ALTA

Dengue: grávidas e bebês podem usar repelentes?

Na busca por proteção, a procura por repelentes aumentou nas farmácias de todo o País; dermatologista orienta sobre o uso

DRAMA ALVINEGRO

Corinthians perde para a Ponte Preta em Itaquera e vê vaga se distanciar

Iago Dias abriu o placar aos cinco minutos para a Ponte Preta; Corinthians finaliza 26 vezes, mas não consegue balançar as redes

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter