últimas notícias
Serão disponibilizados 29 locais de vacinação, sendo um drive thru, seis postos externos e 22 policlínicas
Serão disponibilizados 29 locais de vacinação, sendo um drive thru, seis postos externos e 22 policlínicas
Foto: Divulgação PMS

NOTAS

Imunização. Qualquer interessado que esteja passando pelo Centro de Santos pode ser vacinado contra a gripe nessa sexta (24), das 13h às 16h30. A Secretaria de Saúde montará uma barraca para oferecer a vacina à população. A vacina contra a gripe é produzida pelo Instituto Butantan, protege contra os vírus A (H1N1), A (H3N2) e B (Victoria) e leva cerca de 10 dias para gerar anticorpos no organismo. Não pode ser aplicada em bebês com menos de 6 meses de idade. (GSP)

Inovador. O Instituto Oceanográfico (IO) da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, inova com um sistema de previsão do mar inédito. Lançado no começo do mês, o sistema on-line Preamar é acessível gratuitamente para toda a sociedade. A ferramenta fornece previsão com até 48 horas de antecedência sobre o comportamento das correntes marinhas, a elevação da superfície do mar, além de temperatura e salinidade para três regiões da costa do Estado: a plataforma continental, o Canal de São Sebastião e o sistema estuarino de Santos-São Vicente-Bertioga. (GSP)

Remédio alto custo. Em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde e a Prefeitura de São Bernardo do Campo, o Poupatempo abre ao público nesta terça-feira (21), um novo espaço dedicado à distribuição de medicamentos especializados. O projeto piloto da Farmácia de Medicamentos Especializados no Poupatempo São Bernardo faz parte do plano do Governo do Estado para descentralizar a distribuição desse tipo de remédio na região do ABC, atualmente realizada no Hospital Mario Covas, em Santo André. O Poupatempo São Bernardo funciona na rua Nicolau Filizola, 100, no Centro. O horário de atendimento é de segunda à sexta-feira, das 7h às 19h, e aos sábados das 7h às 13h. (GSP)

Saúde. Uma pesquisa do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2018) mostrou que a hipertensão atinge 24,7% dos moradores das capitais do Brasil. Do grupo de entrevistados, 60,9% de pessoas com mais de 65 anos disseram ser hipertensas. É o grupo mais significativo. Entre os entrevistados com idades entre 45 e 54 anos, 49,5% afirmaram ter hipertensão. Os dados foram divulgados no dia 17, no Dia Mundial da Hipertensão. (AB)

Tops da Gazeta