últimas notícias
Desde a permissão da reabertura dos parques, o mais visitado é o Parque Ibirapuera, com 3,6 milhões
Desde a permissão da reabertura dos parques, o mais visitado é o Parque Ibirapuera, com 3,6 milhões
Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress

Parque Ibirapuera é o mais frequentado desde a reabertura

Ibirapuera já recebeu 3,6 milhões de frequentadores desde 13 de julho; depois, vêm os parques Independência, Aclimação, Carmo e Povo

Desde a permissão da reabertura dos parques municipais de São Paulo, em 13 de julho do ano passado, o mais visitado é o Parque Ibirapuera, com 3,6 milhões de frequentadores ao total, de acordo com dados atualizados pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) nesta terça-feira. Depois, vêm os parques Independência (723.260), Aclimação (701.016), Carmo (589.954), Povo (527.805), Luz (438.382), Sapé (283.069), Vila Prudente (238.342), Buenos Aires (201.673) e Trianon (172.588).

Os parques paulistanos estenderam o horário de funcionamento e, desde o início deste mês, passaram a abrir os portões das 6h às 18h, inclusive aos fins de semana. Com isso, aumentou o número de frequentadores das áreas verdes da metrópole, que precisam respeitar – em teoria – uma série de exigências por causa da pandemia da Covid-19.

Leia mais:

Segundo a SVMA, os parques municipais mais visitados na semana mais recente, entre 8 e 14 de fevereiro, são: Ibirapuera (161.725 frequentadores), Independência (35.907), Aclimação (31.332), Povo (28.593), Carmo (23.082), Luz (16.670) Trianon (14.314), Sapé (12.469), Vila Prudente (10.433) e Buenos Aires (9.486).

Ainda de acordo com a Pasta, houve 512.715 visitas aos 108 parques na última semana, contra 503.119 na semana anterior, de 1º a 7 de fevereiro.

Respeito às regras
Em geral, os usuários estão respeitando as normas de segurança nos parques de São Paulo, de acordo com frequentadores ouvidos pela Gazeta.

“Fui no domingo [7] ao Ibirapuera. Estava cheio, mas nem todos usavam máscara - cerca de 70% usava, mas muitos que corriam estavam com ela no queixo. Os guardas alertavam, com gritos, para o uso quando avistavam alguém sem máscara. De um modo geral havia, sim, o respeito às regras”, explicou o funcionário público Danilo Chamadoira.

Já a coordenadora de Recursos Humanos Daniela Melo visitou o Parque Villa Lobos, na zona oeste da Capital, na semana passada. O espaço é gerido pelo Governo de São Paulo, mas mantém regras de segurança semelhantes às da Prefeitura de São Paulo.

“Estava bem cheio, mas todo mundo que vi estava usando máscara”, contou a coordenadora de RH.

A professora Clara Silva visitou nesta semana o Parque da Aclimação, na zona sul, e disse que viu um homem com roupa de corrida tentando arrumar sua máscara, que havia soltado o elástico. Ela, que estava com algumas na bolsa, entregou uma máscara ao rapaz. “Não custa nada dar uma ajudinha. Ele ficou seguro, e todo mundo também”, diz.

Regras sanitárias dos parques municipais:
Atividades permitidas
Caminhada, corrida, trilha e ciclismo (a depender da estrutura do parque)

Restrições
Uso de bebedouros
Atividades coletivas que promovam aglomerações

Distanciamento
Distanciamento mínimo de 2 m
Reorganização das áreas de consumo de alimentos das lanchonetes e ambulantes, seguindo os protocolos setoriais
Sinalização no chão em locais onde pode ocorrer filas para referenciar a população

Higiene
Uso obrigatório de máscaras
Disponibilidade de álcool em gel 70% para higienização das mãos
Nos sanitários abertos, disponibilidade de sabão líquido para lavar as mãos
Aumento da limpeza nos sanitários abertos

Monitoramento
Contagem de frequentadores e observação dos horários e dias de maior e menor fluxo
Ocorrências ou notificações de casos suspeitos ou confirmados dos trabalhadores dos parques (servidores, terceirizadas e permissionários)

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta