últimas notícias
Museu da Língua Portuguesa, na região central da Capital
Museu da Língua Portuguesa, na região central da Capital
Foto: Jhony Inaci/Agência Enquadrar/Folhapress

Memória: a história do Museu da Língua Portuguesa, que reabre dia 31

Prédio que já foi escritório da São Paulo Railway e teve suas instalações devastadas após um incêndio em 2015, reabre as portas como o Museu mais seguro do Brasil

Após um incêndio devastador em dezembro de 2015, o Museu da Língua Portuguesa reabre suas portas em 31 de julho. Contudo, a história do prédio que abriga um dos primeiros museus totalmente dedicado a um idioma no mundo começou bem antes e se mistura com outro símbolo histórico da cidade de São Paulo, a Estação da Luz.

No final do século 18 o cultivo do café chegou ao Brasil e, em meados do século seguinte, passou a ser o principal produto de exportação do país, substituindo o açúcar. O Rio de Janeiro foi pioneiro na nova cultura, que logo se expandiu para o Vale do Paraíba e interior de São Paulo. Com esse deslocamento, escoar a produção no porto do Rio de Janeiro se tornou impraticável, fazendo com que o Porto de Santos se tornasse a alternativa mais viável.

Macaque in the trees
A Estação da Luz surgiu em 1901, como a mais importante da São Paulo Railway - Acervo Iphan

Para chegar ao Porto de Santos era preciso percorrer os 800 metros de desnível da Serra do Mar, o que era feito com tropas de animais. O transporte não era muito eficiente fazendo com que boa parte da produção se perdesse pelo caminho, foi aí que surgiu a ideia de uma estrada de ferro para ligar o Porto de Santos a São Paulo, com a São Paulo Railway inaugurando em 1869.

Alguns anos depois, em 1901, surgiria a estação mais importante da ferrovia: a São Paulo Railway Station, como era conhecida a Estação da Luz, que passou a receber personalidades ilustres que visitavam a cidade de São Paulo, bem como muitos dos imigrantes que chegavam ao Brasil por meio do Porto de Santos. No prédio, que hoje abriga o Museu da Língua Portuguesa, funcionavam os escritórios da ferrovia.

Macaque in the trees
Museu nasce em 2006 e chama a atenção pelo uso de tecnologia de ponta e recursos interativos - Luciano Bogado/Divulgação

Nasce um Museu
Em 1946, o prédio da Luz foi parcialmente destruído por um incêndio. A reconstrução, bancada pelo governo, terminou em 1951. Em 1982, o complexo arquitetônico da Estação da Luz foi tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico (Condephaat) e, em 2006, uma parte do complexo passa a abrigar o Museu da Língua Portuguesa, idealizado pela Secretaria de Cultura do Estado.

“A escolha do prédio se deu porque há a ideia de que a estação é um ponto de encontro e havia o desejo de mostrar que a língua é um ponto de encontro de culturas”, explica a diretora técnica do Museu da Língua Portuguesa, Marília Bonas.

O Museu da Língua Portuguesa foi aberto ao público em 21 de março de 2006 e, na época, chamou a atenção pelo uso de tecnologia de ponta e recursos interativos para a apresentação de conteúdo.

Composto por três andares, o primeiro era dedicado às mostras temporárias. No segundo, existia uma Grande Galeria, com tela de 106 metros entre outras atrações; já no terceiro havia um auditório.

Em quase dez anos de funcionamento, foram cerca de 4 milhões de visitantes e mais de 30 exposições temporárias, com destaque para as exposições sobre Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Machado de Assis, Fernando Pessoa e Cazuza, que, segundo Bonas, foi uma das mais visitadas.

Macaque in the trees
O incêndio começou no primeiro andar e passou para os andares superiores. Uma pessoa morreu - Divulgaçã/ Bombeiros

Incêndio e reconstrução
Na tarde de 21 de dezembro de 2015, uma segunda-feira, um incêndio de grandes proporções atingiu o Museu, fechando a Estação Luz do Metrô.

O incêndio começou no primeiro andar e passou para os andares superiores, 37 viaturas e 97 bombeiros foram enviados ao local. Durante o combate às chamas, o brigadista da instituição, o bombeiro civil Ronaldo Pereira da Cruz morreu após uma parada cardiorrespiratória. Na cerimônia de reabertura, no dia 31, será feita uma homenagem ao profissional. Além disso, o Museu contará com uma placa em lembrança a Ronaldo.

Leia Mais

Memória: a história do bairro de Santana

Memória: Edifício Martinelli foi o primeiro arranha-céu de São Paulo

Macaque in the trees
O Museu da Língua Portuguesa reabre com a exposição temporária Língua Solta, que revela a língua portuguesa em amplos e diversos desdobramentos na arte e no cotidiano - Ciete Silvério/Divulgação

Cinco anos e meio depois, o Museu da Língua Portuguesa reabre as portas renovado, mais sustentável e seguro. A reconstrução, bancada em parte via parceria com a iniciativa privada, custou R$ 85,8 milhões.
Cerca de 85% da madeira necessária para a recuperação das esquadrias foram utilizados do próprio material já existente no edifício, com a reutilização de madeira da cobertura original, datada de 1946. Já na construção da nova cobertura, foram empregadas 89 toneladas de madeira certificada proveniente da Amazônia. ??

Segundo a Secretaria de Cultura, o museu será reaberto com certificação ambiental, visto que as diretrizes de sustentabilidade pautaram toda a obra. Entre as medidas estão a adoção de técnicas para economia de energia; gestão de resíduos durante as obras; e a utilização de madeira que atende às exigências de sustentabilidade  em todo o Museu. ??

No que diz respeito à segurança, foram incorporadas melhorias, especialmente contra incêndios, que superam as exigências do Corpo de Bombeiros, como a instalação de?sprinklers?(chuveiros automáticos) para reforçar o sistema de segurança contra incêndio. Além disso, pela primeira vez, a Estação da Luz obtém um Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), medida que também abrange o Museu e foi um esforço conjunto da instituição e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).?

“Durante o restauro houve uma preocupação muito grande com a segurança e com a sustentabilidade. Hoje, temos um prédio mais inteligente e reabrimos com o sistema de segurança mais eficiente do Brasil”, diz Bonas.

Macaque in the trees
Uma das novidades do Museu é o terraço com vista para o Jardim da Luz e a torre do relógio - Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de SP

Novidades e exposições
O Museu da Língua Portuguesa reabre com a exposição temporária Língua Solta, que revela a língua portuguesa em amplos e diversos desdobramentos na arte e no cotidiano. A curadoria é de Fabiana Moraes e Moacir dos Anjos.

Já na exposição de longa duração serão mantidas as principais experiências que marcaram os quase 10 anos de funcionamento do Museu, como a "Praça da Língua", que homenageia a língua portuguesa escrita, falada e cantada em um espetáculo de som e luz. Porém, há experiências inéditas como "Falares", que traz os diferentes sotaques e expressões do Brasil; e "Nós da Língua Portuguesa", que aborda a diversidade cultural da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Outra novidade do Museu é?um terraço com vista para o Jardim da Luz e a torre do relógio, que abrigará um café. O espaço, concebido por Pedro Mendes da Rocha, homenageia o pai de Pedro, o arquiteto?Paulo Mendes da Rocha, que morreu este ano, e foi o responsável pelo projeto arquitetônico do Museu.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta