X

CAMISA 10 DA SELEÇÃO

Aos 31 anos, Neymar é alvo de debate se atingiu tudo que poderia

Maior artilheiro da seleção, ouro olímpico inédito, artilheiro de Champions e campeão da Libertadores pelo Santos; tudo isso com gosto de que "podia mais"

Leonardo Sandre

Publicado em 06/02/2023 às 11:41

Atualizado em 06/02/2023 às 14:23

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Aos 31 anos, Neymar é o melhor jogador brasileiro desde Ronaldo Fenômeno / Divulgação/CBF

Neymar Jr é o melhor jogador do Brasil na atualidade. Desde 2013 assim vêm sendo, de forma unânime. O único capaz de chegar ao número de gols de Pelé pela seleção: 77 gols. O primeiro a dar o ouro olímpico para o Brasil, em 2016. protagonista da Copa das Confederações de 2013. Protagonista do Brasil na Copa de 2014, até a trágica lesão na coluna.

E 2022 foi muito injusto para o agora "adulto Ney". Um ano de preparação, futebol do mais alto nível, gols e assistências de monte, e lesão já na estreia do Mundial. Ele correu contra o tempo, se recuperou, e foi decisivo nas quartas de final contra a Croácia, naquela partida que ainda causa um incômodo sentimental imenso em muitos brasileiros (como é o caso de quem vos escreve).

Prorrogação, todos já exaustos fisicamente, e Neymar faz um golaço, dribla o goleiro croata, comemora com raiva, parecia que sua redenção em Mundiais havia chegado. E deveria. Mas futebol não é um esporte justo. É o esporte de quem é mais eficiente. Mesmo com o camisa 10 tendo resolvido o jogo, a defesa brasileira comete um erro banal, infantil, leva contra-ataque ganhando o jogo e é eliminada nos pênaltis (sem Tite ter colocado o Neymar para cobrar sua penalidade). Era a Copa de Neymar, era a Copa do Brasil, pelo menos é essa a sensação que me ficou. Era Neymar x Messi, e não o argentino contra o Mbappé. Porém, a lesão no início e aquela eliminação precoce, mudou tudo.

Comentando apenas do Neymar atleta, e deixando de lado o que ele faz na vida pessoal - festas, bens materiais, isso pouco deveria importar para quem acompanha o FUTEBOL, pois é dever separar o jogador do homem do dia a dia. Não o conheço no cotidiano, nunca o visitei, não falei com ele, pouco me importa quantos carros ele comprou, ou quantas mansões ele tem, o dinheiro é dele, faz o que quiser. Porém o atleta é possível ver em campo, com inúmeras transmissões ao redor do mundo. E nesse quesito, ele é mágico.

Santos

Antes de Neymar, apenas Pelé foi capaz de ganhar Libertadores pelo Santos. Pouco menos de 50 anos depois, foi Neymar quem repetiu a escrita. Foi com ele também a única Copa do Brasil conquistada pelo Santos, em 2010.

Barcelona e PSG

Europa, o camisa 10 da seleção foi artilheiro da UEFA Champions League, o maior torneio do continente, com direito a gol em final. No fatídico 6 a 1, a maior virada do torneio, na qual Barcelona virou contra o PSG, ele foi o melhor jogador. Campeão do Mundial de Clubes também pelo Barça. 

O maior erro da sua carreira, sem dúvidas, foi deixar o time catalão para ir ao Paris. Não era o momento. Mas ainda assim sua passagem na França está longe do fracasso. O protagonista da única final da história do PSG na Liga dos Campeões foi Neymar. Derrotado pelo melhor Bayern de muitos anos, dono de uma das melhores campanhas da história, vencendo todos os jogos.

Brasil

Na seleção brasileira, como já citado anteriormente, é o maior artilheiro da história, ao lado de Pelé, com 77 gols. Campeão das Confederações de 2013 e na Olímpiada de 2016 - com Maracanã lotado, seleção vaiada em fases anteriores, Neymar faz um golaço de falta no tempo normal e converte a penalidade decisiva para o Ouro até então inédito.

Não conseguiu jogar nenhuma Copa 100% fisicamente. 2014 lesão nas quartas. 2018 jogou o torneio inteiro ainda sem condição física ideal. 2022 a lesão na estreia.

Para alguns, o jogador só é craque mesmo se tiver vencido a Copa pelo Brasil, caso contrário, é pipoqueiro, fraco, ou seja o que for. Pobre do Neymar então. Do Leônidas da Silva, Sócrates, Zico, Júnior, Falcão. Seguindo a lógica de só vencedores de Copa serem gigantes, então temos de descartar todos esses. Então Kléberson, campeão em 2002, é maior que todos eles.

Neymar é menos valorizado do que deveria, porém até certo ponto ele é um pouco culpado. Poderia causar menos polêmicas. Dentro de campo, também deveria ter rendido mais. Sim, mesmo com sua carreira com diversos títulos, artilharias, destaques, ainda faltou além da Copa do Mundo, um troféu de "Melhor do Mundo". Ele disputou, foi finalista duas vezes, em 2015 e 2017, e caso ganhasse na primeira indicação não seria nenhuma injustiça. Mas com seu potencial, não deveria ser possível que ele se aposentasse sem uma Bola de Ouro.

Neymar é mágico, habilidoso, mas não mostrou ao mundo 100% do que poderia. Ainda assim, o que mostrou já o coloca como um dos maiores pós-Pelé. Talvez atrás de Ronaldo e Romário, sendo o terceiro melhor pós-rei.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

DAS 7H ÀS 19H

Taboão da Serra amplia horário de atendimento de mais duas unidades de saúde

A medida, que já foi adotada pela Secretaria de Saúde (SMS) nas UBSs Oliveiras/Marabá, Parque Pinheiros/CSU e Jardim das Margaridas, tem como objetivo  ampliar o acesso da população aos serviços de saúde

ARMAS E DROGAS

Polícia prende especialistas em roubo de cargas milionárias em SP; veja fotos

Quadrilha vinha sendo investigada por três roubos no interior paulista

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter