últimas notícias
Os índices de isolamento social em toda a Baixada Santista ainda representam uma baixa adesão
Os índices de isolamento social em toda a Baixada Santista ainda representam uma baixa adesão
Foto: MARCELO MARTINS/PREFEITURA DE SANTOS

Dias úteis: Isolamento social não chega a 50% em Santos há mais de um ano

Sem auxílio, Santos não vê cidade ter metade da sua população isolada desde abril de 2020

Sem mais parcelas do auxílio emergencial e com inúmeras flexibilizações de retomada das atividades econômicas em quase 14 meses de pandemia de Covid-19, a cidade de Santos entra na segunda quinzena de maio de 2021 sem conseguir obter 50% de isolamento social em um dia útil desde 20 de abril de 2020, uma segunda-feira que antecipava um feriado nacional. Os dados são do Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP).

Os índices de isolamento social em toda a Baixada Santista ainda representam uma baixa adesão, uma vez que, segundo a recomendação das autoridades de saúde, o índice mínimo deve ser 55%. Apesar disso, Santos não atinge essa porcentagem em uma data considerada útil desde 10 de abril de 2020, quando chegou a 57%.

As porcentagens que representam quantos moradores dos nove municípios permaneceram em casa ao longo de cada dia são registradas pelo Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM, através da Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR) e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), para que o Estado possa consultar informações agregadas e anônimas sobre deslocamento nos municípios paulistas mapeados.

Nos últimos 12 meses, apenas Bertioga tem sido 'figurinha carimbada' entre os 20 municípios com maior taxa de adesão, quase sempre registrando 50% ou mais de isolamento social. A cidade também foi a única da Região a obter números positivos e muito acima de seus oito vizinhos quando se trata de taxa de natalidade acima da taxa de mortalidade no período da pandemia.

Em Santos, a última vez que a cidade teve mais da metade da sua população dentro de casa entre segunda e sexta-feira foi em 20 de abril de 2020, uma segunda-feira que antecedia uma terça de feriado nacional. Anteriormente, a marca só foi alcançada dez dias antes.

São Vicente também é outra cidade que já alcança a marca de um ano sem bater 50% de isolamento social. O município, inclusive, chegou a se destacar em maio do ano passado quando liderou a lista de 645 cidades com o melhor índice de isolamento: 68%. Muito acima da média de todo o Estado à época, que era 59%.

Em junho, entretanto, São Vicente decidiu ignorar o decreto do governador João Doria e começou o processo de abertura do comércio de rua. De lá, para cá, a primeira vila do Brasil não repetiu mais os bons números e a última vez que teve um dia útil com 50% ou mais de isolamento social se deu em 15 de maio de 2020, quando chegou a 56%.

Entre as outras integrantes da Baixada Santista, Cubatão teve 50% de isolamento social em 24 de fevereiro de 2021, enquanto Itanhaém teve 51% em 26 de março deste ano, primeiro dia do 'mega feriado' da Capital, São Paulo, ao qual o litoral paulista não aderiu. Guarujá chegou a 51% no mais recente Dia de Reis, 6 de janeiro de 2021.

Fechando a lista, Mongaguá contou com 51% de sua população em casa no último dia de 2020: 31 de dezembro. Praia Grande também teve 51% em 6 de janeiro deste ano e Peruíbe alcançou 50% de isolamento social em 5 de abril de 2021, uma segunda-feira pós domingo de Páscoa.

 

Comentários

Tops da Gazeta