X

DIA DO AUTISMO

Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Psicólogo da Universidade Guarulhos aponta como a data tem impacto na sociedade e pode melhorar condição de quem é autista

Nathalia Fruchi

Publicado em 02/04/2024 às 09:00

Atualizado em 02/04/2024 às 17:16

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Dia do Autismo é uma data que tem objetivo a conscientizar as pessoas dessa condição / Asier Relampagoe studio no Freepik

O Dia Mundial do Autismo ocorre nesta terça-feira, 2 de abril, e tem como objetivo conscientizar as pessoas dessa condição que afeta segundo a ONU cerca de 70 milhões de pessoas no mundo.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Pensando nisso, a Gazeta conversou com o psicólogo e professor do curso de Psicologia na Universidade Guarulhos (UNG) Alexsandro Brito dos Santos que apontou a importância da data, desafios que pessoas autistas encontram e sugestões de intervenções que você pode fazer para contribuir com acessibilidades dos autistas. Confira:

Dia do Autismo contribui para aumentar a conscientização

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O dia da conscientização do autismo é apontado pelo psicólogo como uma data muito importante, pois não há possibilidade de desenvolvimento desse indivíduo sem uma mudança atitudinal da sociedade.

Nesse sentido, o posicional aponta que colocar o tema em pauta é um dos caminhos para que as pessoas iniciem seu processo de entendimento sobre o tema e possam de alguma forma, contribuir com a inclusão social.

Desafios enfrentados por autistas e suas famílias no acesso a serviços de saúde e educação

Alexsandro Brito dos Santos que explica que a questão da saúde mental e o acesso a serviços especializados para pessoas autistas continuam sendo áreas de preocupação de muitas pessoas.

Isso porque muitos autistas enfrentam dificuldades para obter diagnóstico, tratamento e suporte adequados, devido à falta de recursos e à discriminação.

Mesmo com uma legislação avançada, pessoas com autismo enfrentam dificuldades em diversos campos da vida, como explica o profissional, como: alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) enfrentam obstáculos como dificuldades de matrícula, preconceito de colegas, além de professores sem formação adequada e falta de uma perspectiva mais inclusiva por parte dos gestores.

Formas mais comuns de preconceito e como combatê-las 

Entender o TEA é uma das primeiras formas para combater o preconceito, como aponta o psicólogo, isso porque é fundamental que informações confiáveis sejam divulgadas. 

Em primeiro lugar é importante saber que o autismo não é uma doença e sim uma diversidade neurológica que possui níveis de suporte. Há também como a sociedade se tornar mais inclusiva e apoiadora das pessoas autistas com certas atitudes, sendo elas:

  • Respeito entre as pessoas;
  • Adequação das instalações;
  • Reciclagem e atualização dos profissionais para atender pessoas com TEA;
  • Ações de acolhimento aos alunos e profissionais;
  • Atividades que promovam o convívio social na comunidade escolar e nas empresas e
  • Diálogo estreito e constante com a família.

Inclusão vinda da política

Além da população, é necessário que haja ações vindas do poder público, com o objetivo de promover as mudanças necessárias para pessoas autistas. A Gazeta conversou com a deputada estadual Andréa Werner (PSB-SP), que explicou sobre a atuação para inclusão social de pessoas com deficiência, especialmente crianças autistas. Assista:

*Texto sob supervisão de Suzana Rodrigues

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Não perca essa oportunidade

Cidade no interior de SP encerra inscrições de novo concurso nesta sexta

Prefeitura Municipal de Jahu têm processo seletivo têm salários que chegam a R$ 6.008,73

DROGAS NO LITORAL

Depósito com uma tonelada de cocaína é encontrado no Guarujá

Cães farejadores encontraram as drogas em meio a sucatas

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter