últimas notícias
Na manhã de ontem, Priscila Melo, de 37 anos, tomou a primeira dose da imunização
Na manhã de ontem, Priscila Melo, de 37 anos, tomou a primeira dose da imunização
Foto: ARQUIVO PESSOAL

Taboão da Serra começa a vacinar pessoas com síndrome de down e transplantados

Os munícipes com comorbidades ou deficiências precisam apresentar obrigatoriamente comprovante da condição de risco por meio de exames, receitas, relatório ou prescrição médica

A Prefeitura de Taboão da Serra iniciou a vacinação contra o coronavírus em novos grupos prioritários. Agora, também estão recebendo a imunização pessoas de 18 a 59 anos com síndrome de down, pacientes renais em diálise e transplantados imunossuprimidos. As doses estão sendo aplicadas em todas as unidades básicas de saúde (UBS).

O Secretário de Saúde de Taboão da Serra, José Alberto Tarifa, reforça a obrigatoriedade de apresentar documentação. “Para pacientes com as comorbidades e dentro da faixa etária é obrigatório apresentar comprovante da condição de risco por meio de exames, receitas, relatório ou prescrição médica”.

Na manhã desta terça-feira, Priscila Melo, de 37 anos, que faz parte do grupo de pessoas com síndrome de down, tomou a primeira dose. “Estou me sentindo muito feliz, é uma dose de amor”, disse. Priscila foi vacinada na UBS Dra. Maria José de Albuquerque, no Parque Assunção.

Em Taboão da Serra, a vacinação para maiores de 60 anos segue em andamento. Para receber a dose é preciso ir a uma das Unidades Básicas de Saúde e apresentar comprovante de endereço, cartão do SUS e documento de identificação com foto. É desejável pré-cadastro no site www.vacinaja.sp.gov.br.

RELAÇÃO DE COMORBIDADES. 

A relação de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde são: Doenças Cardiovasculares; Insuficiência cardíaca (IC); Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar; Cardiopatia hipertensiva; Síndromes coronarianas; Valvopatias; Miocardiopatias e Pericardiopatias; Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas; Arritmias cardíacas; Cardiopatias congênitas no adulto; Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados; Diabetes mellitus; Pneumopatias crônicas graves; Hipertensão arterial resistente (HAR); Hipertensão arterial – estágio 3; Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade; Doença Cerebrovascular; Doença renal crônica (pacientes que fazem hemodiálise); Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer); Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves); Obesidade mórbida e Cirrose hepática. 

SUSPENSÃO.

O Governo de São Paulo suspendeu a vacinação de grávidas com comorbidades, que deveria começar nesta terça-feira. A medida também já foi tomada nos estados do Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio de Janeiro.

A suspensão, entretanto, não afeta a vacinação das puérperas, mães de recém-nascidos, que tenham comorbidades. Elas poderão ser imunizadas a partir desta terça.

A determinação ocorre após a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendar a suspensão imediata da aplicação da vacina contra Covid da AstraZeneca/Fiocruz nesse público.

De acordo com o secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, o Estado não tem doses suficientes das vacinas da CoronaVac e Pfizer para conseguir vacinar essa parte da população.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta