últimas notícias
Na semana anterior, segundo a ANP, as bom¬bas chegaram a marcar R$ 6,099 em postos de Santo André e São Caetano
Na semana anterior, segundo a ANP, as bom¬bas chegaram a marcar R$ 6,099 em postos de Santo André e São Caetano
Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Preço da gasolina rompe a marca de R$ 6 por litro em postos do ABC Paulista

Desde o início do ano, a gasolina ficou, em média, 28,2% mais cara nos estabelecimentos do ABC; o último reajuste no preço da gasolina promovido pela Petrobras, de 6%, foi aplicado no dia 5 deste mês

Os reajustes sucessivos promovidos pela Petrobras levaram a gasolina a orbitar a marca de
R$ 6 o litro em alguns postos de combustível do ABC Paulista, em uma curva ascendente de preços provocada pela valorização do dólar e pela disparada do petróleo no mercado internacional.

Pesquisa semanal realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com dados compilados pelo Diário Regional, revelam que o litro da gasolina era vendido, em média, a R$ 5,457 nos postos da região na semana passada. Porém, alguns estabelecimentos ofereciam o produto a R$ 5,999 em São Caetano do Sul.

Na semana anterior, segundo a ANP, as bombas chegaram a marcar R$ 6,099 em postos de Santo André e São Caetano. A região do ABC é formada pelas cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Desde o início do ano, a gasolina ficou, em média, 28,2% mais cara nos estabelecimentos do ABC. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, variou 3,77% no mesmo período, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O último reajuste no preço da gasolina promovido pela Petrobras, de 6%, foi aplicado no dia 5 deste mês. Foi o primeiro desde que o general Joaquim Silva e Luna assumiu a presidência da estatal, em 19 de abril deste ano.

ETANOL

Também na semana passada, o etanol era vendido, em média, a R$ 4,110 o litro nos estabelecimentos do ABC, valor 33,8% superior ao apurado no final de dezembro (R$ 3,071), segundo a pesquisa da ANP. Em 12 meses, a alta acumulada chega a 62,0%.

Na comparação com a semana anterior, porém, o renovável ficou 0,80% mais barato, refletindo a queda nos preços do produto nas usinas, provocada pela demanda fraca.

Ainda segundo a ANP, o combustível derivado da cana de açúcar variou entre o preço mínimo de R$ 3,799 (encontrado em postos localizados em Diadema) e o máximo de R$ 4,699 (São Caetano).

Pela 12ª semana seguida, a gasolina segue mais vantajosa nos postos da região para os proprietários de veículos flex, já que a paridade entre os preços do etanol e do derivado do petróleo está em 75,3%. Segundo a ANP, para que o renovável seja competitivo, a paridade precisa ser inferior a 70,0%. A gasolina é vantajosa quando a relação é superior a 70,4%. Entre 70% e 70,4%, o uso é indiferente.

Comentários

Tops da Gazeta