últimas notícias
Represa Jaguari Sistema Cantareira
Represa Jaguari Sistema Cantareira
Foto: Bruno Santos /Folhapress

Novembro termina com chuvas abaixo da média nos reservatórios que abastecem a Grande SP

O acumulo total de água nos reservatórios que abastecem a Grande SP é 14% mais baixo que o armazenado em 2013, ano anterior à crise hídrica

O mês de novembro teve chuvas abaixo da média em todos os reservatórios que abastecem a região metropolitana de São Paulo. No caso do Sistema Cantareira, o déficit foi de 25%.

Novembro é o quarto mês mais chuvoso do ano no sistema Cantareira, o déficit de chuvas foi de 25% e no São Lourenço o déficit chegou a 79%, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).   

Na terça-feira (30), o sistema Cantareira estava apenas com 26% do volume. No mesmo dia em 2013, o ano pré-crise hídrica o sistema operava com 31,8%.  

O volume acumulado em todos os reservatórios de água que abastecem a Grande São Paulo são 14% menos que a água armazenada durante o mesmo período no ano de 2013. No dia 30 de novembro de 2021 era de 716,16 hm³ e em 2013  833,38hm³.

A comparação com o ano de 2013 é importante pois foi antecessor à uma crise de abastecimento, o que pode alertar que estamos novamente em um ano anterior a uma crise, segundo o especialista em gestão de recursos hídricos e professor de pós-graduação em ciência ambiental do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da Universidade de São Paulo (USP) Pedro Luiz Côrtes para o ''G1''. 

“Estamos em uma situação pior do que estávamos em novembro de 2013, na antessala da crise hídrica anterior. Já está configurada a situação de crise no abastecimento. A Sabesp já está adotando a redução da pressão nas casas por um período maior, embora não admita que isso seja em decorrência do cenário atual. Os prognósticos climáticos vêm se confirmando ao longo de toda essa crise e, segundo eles, não há perspectiva de melhora significativa na disponibilidade de água até a metade de 2022. Portanto, a situação de crise no abastecimento deve persistir.” 

A região metropolitana de São Paulo é abastecido pelos sistemas: Cantareira, Alto Tietê, Guarapiranga, Cotia, Rio Grande, Rio Claro e São Lourenço. Os sistemas abastecem juntos 21 milhões de pessoas. 

O sistema Cantareira é o maior reservatório de São Paulo, sozinho ele abastece 7,2 milhões de pessoas e atualmente, está operando com restrição, sendo assim o volume útil maior ou igual 20% e menor que 30%, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA). 

 

Comentários

Tops da Gazeta