Publicidade

X
DE OLHO NO PODER

Coordenadora do MTST rebate acusação de 'terrorismo' por ato em shopping

De Olho no Poder: Os fatos da política de São Paulo na visão do jornalista Bruno Hoffmann

Publicidade

Ediane Maria, com a bandeira do Brasil, durante protesto do MTST no shopping Iguatemi / Divulgação

A coordenadora do MTST no estado de São Paulo, Ediane Maria, se defendeu da acusação do MBL de ter praticado “terrorismo” por protestar contra a fome no shopping Iguatemi, na Capital, no começo de junho. “Terrorismo é o que fazem com nossas vidas. Eles são terroristas por não entender a luta dos trabalhadores. Naquele dia estávamos com 33 milhões de brasileiros no mapa da fome”, disse ela, à coluna. “Ocupar um espaço da [avenida] Faria Lima era uma denúncia. Será se tivéssemos denunciado na periferia que estávamos com fome, alguém ia ouvir? Será que o MBL ia falar alguma coisa?”, completou. Ediane Maria, que é pré-candidata a deputada estadual pelo PSOL, lembrou que não houve qualquer ato de violência e sequer um prato foi quebrado durante a manifestação, e que o MTST conseguiu atrair a simpatia de funcionários da praça de alimentação do shopping. “Os outros trabalhadores olhavam para gente com a cara: ‘Que legal, eu queria estar aí com vocês’”.

Ediane Maria, do MTST, durante entrevista à coluna

Ediane Maria, do MTST, durante entrevista à coluna. Foto: Bruno Hoffmann/Gazeta de S. Paulo

Metrô na Bela Vista

Uma série de entidades pede que a futura estação de Metrô 14 Bis, que está em construção na Bela Vista, seja batizada como Saracura/Vai-Vai. O pleito surgiu após os operários que trabalham na Linha-6 Laranja terem encontrado um sítio arqueológico que seria vestígio de um quilombo que havia nos tempos da escravidão. Além disso, os grupos também reivindicam que as obras sejam suspensas até a formalização de um projeto de preservação dos achados históricos. "Não é possível que a obra continue sem que isso seja preservado”, disse Douglas Belchior, coordenador da UneAfro e pré-candidato a deputado estadual pelo PT.

Cannabis medicinal

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) encerrou o período de discussão do PL da Cannabis Medicinal, e, com isso, a proposta fica mais próxima de ser votada pelos deputados paulistas. O projeto inclui os medicamentos que já estão autorizados pela Anvisa no rol de produtos oferecidos pelo SUS no estado de São Paulo. “Nada tem a ver com o uso recreativo da cannabis, como dizem toda hora, até porque não compete à Alesp legislar sobre isso”, disse Caio França (PSB), autor do projeto.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Caio França (@caiofranca_)

Bancários contra assédio

Após o ex-presidente da Caixa, Pedro Guimarães, ser denunciado por supostos casos de assédio sexual, o Sindicato dos Bancários de São Paulo destacou que incluiu o combate ao assédio e a outras violências contra as mulheres nas reivindicações entregues à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) no último dia 15. "É fundamental que as denúncias de assédio sejam apuradas numa comissão bipartite, do sindicato e da empresa, com sigilo das vítimas e punição dos assediadores”, afirmou Ivone Silva, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região.

Tucanos no Senado

O presidente do diretório municipal do PSDB de São Paulo, Fernando Alfredo, voltou atrás e anunciou ter retomado sua intenção de ser pré-candidato do partido ao Senado nas eleições de outubro. O anúncio se deu após a desistência do apresentador José Luiz Datena de disputar o cargo. "Não desistirei e continuo firme na disputa pela vaga ao Senado", anunciou o tucano. O outro nome do PSDB paulista que pretende concorrer ao Senado é José Aníbal, ex-presidente da legenda.
 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Democracia

Fachin defende urnas e se opõe às fake news em mensagem para mobilização de 11 de agosto

Declarações do presidente do TSE foram feitas em meio a insinuações golpistas e ataques do presidente Jair Bolsonaro ao sistema eleitoral

INCLUSÃO

Taboão da Serra realiza eleição para Conselho da Pessoa com Deficiência

No total serão eleitos 20 membros, sendo dez titulares e dez suplentes

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software